santa-candida

abrigo-virtual

Edição Digital - JUNHO 2016
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

 

Edição - MAIO 2016
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

Banner
Banner

Pesquisa

Do que nosso bairro mais precisa?
 

twitter-sigaface-siga

siga-nos

AGORA ONLINE

Nós temos 24 visitantes online

Visitas

Visualizações de Conteúdo : 2336253
EX-MINISTRO PAULO BERNARDO É PRESO PELA POLÍCIA FEDERAL PDF Imprimir E-mail
Escrito por Agência Brasil e redação   
Qui, 23 de Junho de 2016 10:26

paulo presoEm ação conjunta com o Ministério Público Federal e a Receita, a Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (23) a Operação Custo Brasil. O objetivo é apurar o pagamento de propina, proveniente de contratos de prestação de serviços de informática, no valor de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Os policiais federais estão cumprindos 11 mandados de prisão preventiva, 40 de busca e apreensão e 14 de condução coercitiva nos estados de São Paulo, do Paraná, Rio Grande do Sul, de Pernambuco e no Distrito Federal, todos expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal em São Paulo.

De acordo com nota divulgada pela PF, há "indícios de que o ministério direcionou a contratação de uma empresa de prestação de serviços de tecnologia e informática para a gestão do crédito consignado na folha de pagamento de funcionários públicos federais com bancos privados", interessados na concessão desse tipo de crédito.

O inquérito foi aberto em dezembro de 2015, após a decisão do Supremo Tribunal Federal de que a documentação recolhida na 18ª fase da Operação Lava Jato, conhecida como Pixuleco 2, fosse encaminhada para investigação em São Paulo.

De acordo com as investigações, 70% dos valores recebidos por essa empresa eram repassados a pessoas ligadas a funcionários públicos ou agentes públicos com influência no Ministério do Planejamento por meio de outros contratos - fictícios ou simulados.

Os investigados responderão, de acordo com suas ações, pelos crimes de tráfico de influência, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, com penas de 2 a 12 anos de prisão.

Os presos e o material apreendido serão encaminhados à sede da Polícia Federal em São Paulo. As pessoas conduzidas coercitivamente são ouvidas nas instalações da PF mais próximas dos locais em que forem encontradas. A Polícia Federal dará uma entrevista, às 11h, no auditório da Superintendência Regional em São Paulo.

Polícia Federal faz buscas na sede do PT em São Paulo

Fernanda Cruz - A Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão como parte da Operação Custo Brasil desde as 6h de hoje (23) na sede do Partido dos Trabalhadores (PT), na capital paulista. Por volta das 8h30, a equipe de policiais continuava no interior do prédio, na Rua Silveira Martins, região central.

Oito homens armados do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal fazem a segurança na parte de fora da sede do PT, auxiliados por policiais militares. A Rua Silveira Martins está interditada para o trânsito de veículos.

A assessoria de imprensa da PF em São Paulo informou que as informações sobre a operação serão fornecidas aos jornalistas apenas às 11h, em coletiva na sua sede na capital. A Custo Brasil é um desdobramento da Operação Lava Jato. As ações são feitas de forma conjunta com o Ministério Público Federal e a Receita Federal.

O objetivo é apurar o pagamento de propina, proveniente de contratos de prestação de serviços de informática, no valor de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Os policiais federais estão cumprindo mandados também no Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco e no Distrito Federal.

pf agua verde

Polícia Federal faz buscas na residência de Paulo Bernardo no bairro Água Verde em Curitiba

Agentes da Polícia Federal fizeram buscas no apartamento do ex-ministro Paulo Bernardo, no bairro Água Verde, no apartamento de cobertura de um dos edifícios construídos por empreiteira envolvida e denunciada na Operação Lava Jato.

A ação quebrou a rotina dos moradores da região. Diversas viaturas da PF foram estacionadas na frente do edifício, despertando a atenção de dezenas de curiosos.

 ........................................................................

gleisi falaNota de Gleisi Hoffmann

Hoje foi um dia muito triste na minha vida como mulher, como política e, sobretudo, como mãe. Conheço o pai dos meus filhos. Sei das suas qualidades e do que não faria, por isso sei da injustiça que sofreu nesta manhã.

Mais de 10 pessoas estranhas entraram em minha casa com ordem de busca e apreensão. Trouxeram também uma ordem de prisão preventiva contra o Paulo.

Busca e apreensão após quase um ano de início do processo?!

Prisão preventiva para previnir o que?! Uma fuga? Um conluio? Qual risco representa ele?

Desde que esse processo começou, Paulo se colocou inúmeras vezes à disposição da Justiça, sempre esteve totalmente disponível, tem endereço conhecido.

Vieram coercitivamente buscá-lo em casa, na presença de nossos filhos menores. Um desrespeito humano sem tamanho, desnecessário.

Não havia nada em nossa casa que podia ser levado. Mesmo assim levaram o computador do meu filho adolescente. Fiquei olhando meu menino e pensei sobre a dor que sentia com aquela situação.

Quem nos conhece sabe que não fizemos fortuna, não temos conta no exterior, levamos uma vida confortável, porém modesta. O patrimônio que temos, parte financiado, foi comprado com nossos salários.

Não me cabe outra explicação que não o desvio de foco da opinião pública deste governo claramente envolvido em desvios, em ataques aos direitos conquistados pela população. Garantir o impeachment é tudo o que mais lhes interessa neste momento.

 

Última atualização em Sex, 24 de Junho de 2016 09:53
 
Ministro da Defesa pagou canal pornô com dinheiro público PDF Imprimir E-mail
Escrito por Jornal O Tempo   
Qui, 23 de Junho de 2016 10:15

jungmann 1Depois de mostrar, no início do mês, o uso de dinheiro público feito pelo ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social) para custear despesas com pipoca e refrigerante em um cinema de Brasília, em 2015, um novo levantamento do jornal “Destak” aponta que a contratação de um canal de TV a cabo com conteúdo erótico também está na lista de gastos na Câmara dos Deputados. 


O alvo desta vez é o ministro da Defesa, Raul Jungmann, que, segundo o jornal, pagou com dinheiro da Câmara a seu gabinete funcional em Recife (PE) um pacote de TV a cabo que tinha direito a 11 canais de cinema, entre eles Telecine, HBO e o Sex Zone, de conteúdo exclusivamente adulto.

Em nota ao “Destak”, o ministro informou que contratou, no ano passado, o pacote porque era o único que disponibilizava sistema de gravação da TV Câmara e negou ter acessado o canal erótico. A operadora, no entanto, contestou a informação e explicou que existiam outros pacotes na época, inclusive com preços mais baratos. Além disso, a própria Câmara disponibiliza, gratuitamente, os vídeos com atuações parlamentares. Basta o deputado solicitá-los à Câmara.

Segundo a operadora Sky, o chamado “Combo DH Full 2015 + Cinema” durou 12 meses, entre abril do ano passado e março deste ano. Ao todo, a Câmara pagou R$ 3.100 pelo serviço, que dava direito a dois pontos de TV na sede parlamentar de Raul Jungmann, que fica em um prédio no bairro Ilha do Leite, área nobre da cidade de Recife.

Também estavam inclusos no pacote outros serviços, como assistência técnica 24 horas e a possibilidade de assistir à programação de filmes por meio de streaming, como no Netflix.

Supermercado

R$ 7,18. Gastos com alimentação são permitidos pela cota, desde que relacionados à atividade parlamentar. Osmar Terra pediu um reembolso de uma compra de R$ 7,18 em supermercado. 

 

 
Bolsonaro agora é réu por incitação ao estupro PDF Imprimir E-mail
Escrito por Fernando Brito - Tijolaço   
Qua, 22 de Junho de 2016 08:46

bolsonaro reu

Por quatro votos a um a primeira Turma do Supremo Tribunal Federal  aceitou a denúncia da Procuradoria Geral da República e tornou Jair Messias Bolsonaro réu por apologia do crime de estupro, por ter dito a Maria do Rosário que “não ia estuprá-la” porque  a deputada gaúcha “não merece”.

Bolsonaro, que fez essa e dezenas de outras barbaridades porque sempre se considerou garantido pela covardia da Câmara em abrir um processo por quebra de decoro, o que qualquer pessoa pode ver que ele não tem.

Bolsonaro, se o STF quiser, poderá ser julgado rapidamente, porque o caso dispensa coleta de provas. A prova está, como se vê aí embaixo, evidente. O caso se limita à avaliação de direito, porque o fato está absolutamente demonstrado e, até, confessado pelo próprio ofensor.

Veja a cena deplorável, que pode passar a ser um marco na recuperação da civilidade do processo parlamentar, com a punição a quem pensa poder agir na Câmara como num potreiro.

 

 
Menina de 13 anos é abusada em voo da American Airlines PDF Imprimir E-mail
Escrito por Brasil Post   
Ter, 21 de Junho de 2016 18:20

chad 1

Menina de 13 anos abusada por homem em voo da American Airlines chorava em silêncio, afirma aeromoça que flagrou o episódio. “Nós estamos furiosos com ele, furiosos com a companhia aérea e furiosos que isso tenha acontecido com a nossa filha”, diz a mãe da vítima, que pagou um valor extra para que a filha viajasse sozinha

Autoridades americanas prenderam um homem de 26 anos suspeito de abusar sexualmente de uma menina de 13 anos durante um voo entre Dallas e Portland.

De acordo com informações da CNN, Chad Cameron Camp foi preso na quarta-feira após o voo aterrissar no destino. Uma aeromoça viu o homem passar a mão entre as pernas da menina – que chorava em silêncio – enquanto fazia o serviço de bordo.

Ela então solicitou que o homem mudasse de lugar e, num primeiro momento, ele apenas se sentou na poltrona do lado. Depois, advertido pela comissária, ele foi para os fundos da aeronave, e a menina para a parte da frente.

De acordo com a denúncia, ele passou a mão na menina pelo menos três vezes. De acordo com o advogado da família da vítima, foram pelo menos 15 episódios. O voo estava vazio, mas mesmo assim Camp permaneceu no assento do meio, do lado da adolescente.

“Estou bem”, teria dito Camp quando a comissária ofereceu para que ele mudasse de lugar e tivesse mais espaço, antes mesmo da aeronave decolar.

Aos investigadores, a jovem contou ter se sentido “assustada e presa”. Ela ainda tentou ficar mais próxima da janela, para evitar que Camp a tocasse.

“Nós estamos furiosos com ele, furiosos com a companhia aérea e furiosos que isso tenha acontecido com a nossa filha”, contou a mãe da jovem à NBC.

De acordo com o advogado da família, a American Airlines foi negligente em proteger a menina, mesmo cobrando uma taxa de US$ 300 (R$ 1.020) para que a adolescente viajasse desacompanhada. “Foram 30 minutos de terror para essa jovem”, afirmou Brent Goodfellow ao The Washington Post, e contou ainda que a menina disse que nunca mais quer andar de avião.

Em nota, a companhia afirmou que “leva o assunto muito a sério e cooperou, ampla e imediatamente, com as autoridades na investigação do suspeito”. Não é a primeira vez que um caso de abuso sexual contra um menor de idade acontece dentro de um avião da American Airlines.

Em julho de 2015, um médico paquistanês foi acusado de tocar uma adolescente que viajava sozinha de Nova York para Chicago. Mohammad Asif Chaudhry visitava parentes nos EUA e teria, de acordo com as investigações, tocado uma adolescente enquanto ela dormia. “Mãe, eu estou com medo”, escreveu a adolescente. O médico foi absolvido em novembro, mas um processo, contra ele e contra a companhia, ainda segue em Iowa.

Camp continua preso e alega inocência.

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 3 de 482

jav-separador

         twitter-siga-footerface-footer
Copyright © 2010-2013 Jornal Água Verde. Todos os direitos reservados.
Abrigo Virtual