santa-candida

abrigo-virtual

Edição 414 - NOVEMBRO 2014
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

Edição Especial - NOVEMBRO 2014
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

Banner

Pesquisa

Do que nosso bairro mais precisa?
 

twitter-sigaface-siga

siga-nos

AGORA ONLINE

Nós temos 4 visitantes online

Visitas

Visualizações de Conteúdo : 1323309
Lançado com sucesso o satélite sino-brasileiro Cbers-4 PDF Imprimir E-mail
Escrito por Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)   
Seg, 08 de Dezembro de 2014 08:18

satelite chino bra

O lançamento do satélite Cbers-4, quinto exemplar do programa de satélites de sensoriamento remoto desenvolvido em parceria entre Brasil e China, foi realizado com sucesso às 1h26 (no horário de Brasília, 11h25 em Pequim) deste domingo (7) a partir do Taiyuan Satellite Launch Center, na China.

O evento foi acompanhado pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina, pelo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, pelo diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Leonel Perondi, pelo ex-ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, e outras autoridades brasileiras.

O lançamento também foi monitorado em tempo real pelo Centro de Controle de Satélite do Inpe, em São José dos Campos (SP), por técnicos, engenheiros e pelo diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos da AEB, Petrônio Noronha de Souza.

Iniciado nos anos 1980, o programa Cbers (sigla em inglês para China-Brazil Earth Resources Satellite) é coordenado pela AEB e desenvolvido pelo Inpe. O Cbers-4 é o quinto satélite do Programa, exemplo bem-sucedido de cooperação em alta tecnologia e um dos pilares da parceria estratégica entre o Brasil e a China.

Sua ida ao espaço, inicialmente programada para dezembro de 2015, foi antecipada em um ano devido à falha ocorrida no lançamento do Cbers-3, em dezembro de 2013. Antes, foram lançados com sucesso o Cbers-1 (1999), Cbers-2 (2003) e Cbers-2B (2007).

 
"A União Europeia está comprando petróleo roubado da Síria" PDF Imprimir E-mail
Escrito por Redação   
Sex, 05 de Dezembro de 2014 16:05

embaixador 34 p

A afirmação é do Embaixador da República Árabe da Síria no Brasil, Dr. Ghassan Nseir, durante visita a Curitiba para se encontrar com a colônia síria da capital paranaense. Segundo ele, alguns países da União Europeia estão comprando petróleo do Levante Islâmico - que afirmam combater. Trata-se de petróleo roubado da Síria. 

Leia a seguir a íntegra do discurso do Embaixador Ghassan Nseir:

No último dia 28, o Embaixador da Síria, Dr.Ghassan Nseir, visitou Curitiba a convite do Consulado Honorário da Síria para o Paraná e Santa Catarina. Naquela oportunidade, durante a visita ao Consulado sírio, concedeu a seguinte entrevista:

“Sempre tive vontade de conhecer e visitar Curitiba. Agradeço sinceramente ao Cônsul Honorário da Síria para o Paraná e Santa Catarina, Dr. Abdo Abage, pelo convite, pela oportunidade e pela hospitalidade.
Há tempos venho acompanhando o que acontece em Curitiba, especialmente o que é publicado nos jornais de bairros locais, incluindo os jornais Água Verde, Santa Cândida e Mercosur, além de sites na internet. São raros os jornais que, como os citados, publicam a verdade dos fatos na Síria.
As informações que chegam ao Brasil para a grande mídia são falsas porque são contra a Síria, já que são produzidas por agências de notícias norte-americanas. Portanto, temos grande orgulho da imprensa de bairros de Curitiba porque ela tem publicado a verdade e não se submete ao domínio imperialista e sionista da imprensa ocidental.
A imprensa tem muita influência na vida das pessoas, e por isso tem de ser responsável por aquilo que publica, e não apenas reproduzir informações de fontes tendenciosas.
Desde o início, a Síria tem dito que esta é uma guerra contra o terrorismo, contra os takfiristas. “Takfir” é uma palavra que significa que somente a sua religião está certa e a dos outros é errada. Quando você pensa que só você tem razão e o mundo inteiro está errado, então você é um takfirista. Os terroristas que hoje combatem na Síria são takfiristas, além de muitos mercenários.
Na verdade, o governo norte-americano tem dado suporte ao terrorismo na Síria, da mesma forma que manipula o tráfico de drogas mundial contra os povos e nações. A Síria sempre falou que a sua luta é contra o terrorismo. Este terrorismo, proveniente de 83 países de todo o mundo, cujos governantes são fantoches do imperialismo e do sionismo.

embaixador 40 p


Hoje estão convencidos de que estão errados, mas o tratamento dado ao combate ao terrorismo continua errado. Estão usando meios ilegais para agir contra o terrorismo. Essa aliança entre EUA e outros países para combater o terrorismo não está de acordo com o Direito Internacional e não tratou com o governo mais interessado na paz, com o governo mais experiente no combate ao terrorismo, ou seja, o governo da Síria. 
O mais importante é a soberania de um Estado. Quando um avião militar entra no espaço aéreo brasileiro sem permissão do governo brasileiro, isso significa violação do espaço aéreo nacional e, portanto, violação da soberania brasileira. Mas na Síria esse crime contra a soberania do país está sendo visto como algo normal pela diplomacia internacional.

Se eles querem, de fato, combater o terrorismo, devem ouvir e cooperar com a Síria, o país que há dezenas de anos vem combatendo o terrorismo. 
O governo, o povo e as forças armadas da Síria vem combatendo o terrorismo, então por que o governo dos EUA não ouvem a Síria? Na verdade, o governo norte-americano e seus aliados querem dominar a Síria, querem dividir o país para que ele não ofereça resistência à política expansionista de Israel, e neste sentido eles apoiam e financiam o terrorismo que alegam combater.
Para combater o terrorismo de forma efetiva, é preciso primeiramente secar as fontes do financiamento estrangeiro ao terrorismo e de quem o financia, evitando, desta forma, a sua continuidade. Quem está financiando os terroristas? Não são Estados? O governo dos EUA – através da CIA - está financiando, armando e treinando esses terroristas, preparando-os para entrar na Síria e desestabilizar o governo nacional. A Síria tem uma fronteira extensa com a Turquia, totalmente aberta. A Turquia está treinando terroristas, está facilitando a entrada deles na Síria, está mantendo relações comerciais com eles.
Existe hoje um vôo direto entre a Líbia e a Turquia para trazer terroristas da Europa e do norte da África até a Turquia para, posteriormente, entrarem na Síria. Existem terroristas da Arábia Saudita, do Catar, da Austrália, da Alemanha, da França, da Inglaterra, do Iêmen e de outros tantos países. Trata-se de uma grande e milionária campanha feita pelo governo dos EUA para desestabilizar a Síria, através do declarado apoio e financiamento do terrorismo.
A democracia americana, na prática, não tem nada de democracia. Palavras como “liberdade”, “direitos humanos” e “democracia” são usadas para enganar os povos e tentar justificar a guerra, a agressão e a dominação dos povos.
É preciso respeitar o modo de cada povo e de cada nação de exercer a democracia. Todos eles têm suas culturas próprias e merecem respeito. 
Quem quer democracia não destrói escolas, hospitais e universidades. Quem quer democracia não destrói a infraestrutura de um país. Quem quer democracia não entrega armas e financia terroristas. Quem entrega armas e financia os terroristas quer destruir e não construir um país.
A Síria não aceita se submeter a nenhum governo estrangeiro. A Síria defende sua soberania. Nós, sírios, entendemos que estamos defendendo os direitos humanos em todas as partes do mundo, através de nossa heroica resistência, e defendendo a verdade e a justiça que podem levar a humanidade ao progresso e desenvolvimento humano. A maioria dos povos já se cansou das mentiras norte-americanas. 

Faço uma pergunta: Você já viu os Estados Unidos entrarem num país e deixarem a situação em paz ou tranquilidade? Onde?Em Hiroshima e Nagasaki? No Afeganistão, no Iraque, na Líbia, no Sudão? Vamos fazer uma revisão desde Hiroshima e Nagasaki até os dias de hoje. O que os EUA deixaram nos países por onde passaram? Os governantes dos EUA se consideram os donos do mundo, se consideram superiores aos demais povos do mundo. Para eles todos os demais povos são inferiores. 

embaixador 39 p


O governo dos EUA manipula palavras e termos políticos para levar guerra e destruição aos demais povos do mundo para roubar suas riquezas naturais, utilizando-se de pretextos políticos, e contando com a cumplicidade da mídia.
Quando a Síria anunciou as eleições passadas, o governo norte-americano e seus aliados não aceitaram. Ora, eles não defendem a democracia? Por que não apoiaram as eleições na Síria? E mais do que isso, chegaram a impedir as eleições em embaixadas da Síria no exterior. Impediram que os imigrantes sírios votassem. Por que? Eles não defendem a democracia? Por que eles não permitiram a eleição nas embaixadas, deixando nas mãos do povo a decisão sobre a democracia? Se a maioria do povo votasse contra o presidente Bashar Al Assad, ele deixaria o governo. 
O presidente Bashar Al Assad tem hoje o apoio de 75% da população síria. Não há nenhum governo ocidental que conte com esse apoio. Na França, Hollande tem 25% de apoio dos franceses. Mas a imprensa estrangeira sempre deturpa os fatos para prejudicar os povos que enfrentam o imperialismo.
Para combater o terrorismo as nações ocidentais devem parar de comprar petróleo dos terroristas. A União Europeia já legalizou a compra de petróleo dos terroristas. Onde estão os direitos humanos? Comprar petróleo roubado, legalizar petróleo roubado? Com que direito fazem isso? Eles estão financiando os terroristas que cortam cabeças, violentam mulheres e crianças, vendem mulheres e crianças como escravos sexuais nos países vizinhos. Esses são os terroristas financiados pela União Europeia, EUA, Israel, Catar e Arábia Saudita.
Na Síria, as lideranças e o povo combatem o terrorismo. Não aceitamos ser dominados por potências estrangeiras. A Síria tem oposições fabricadas no exterior: Uma oposição fabricada na França, outra oposição fabricada nos EUA e outra fabricada no Catar. Essas oposições são apoiadas e financiadas por países estrangeiros, e todas elas pedem ajudas estrangeiras e intervenção militar. Mas que oposição é esta que depende de ajuda estrangeira para destruir o país? Lutam para que o país seja dominado, seja colonizado?
Nós sírios não vamos nos entregar. Defendemos os verdadeiros direitos humanos. Temos amigos e apoiadores em todo o mundo, porque estamos ao lado da justiça, e a maioria dos povos sabe que o povo sírio sempre lutou pela sua liberdade e soberania. A Síria perdeu muitas vidas de honrados patriotas nesta luta contra o terrorismo.
O presidente da Síria, Dr. Bashar Al Assad, governa a Síria com apoio do povo, com muita sabedoria, com muita determinação, honradez e muito conhecimento. Ele está provando ao mundo que está lutando pela justiça e pela verdade, beneficiando toda a humanidade porque está lutando na defesa da soberania de uma nação milenar. Ele está firme no apoio ao comando da resistência, e será vitorioso, enquanto que em muitos países, nos primeiros sinais da guerra, os governantes fogem para países aliados, deixando a população entregue aos invasores. 
O presidente Bashar Al Assad tem um ditado que sempre faz questão de lembrar. Ele diz: “Se chegar o momento crucial em que tenhamos de oferecer nossas vidas na defesa da pátria, temos de morrer de pé, combatendo”. O povo sírio não aceita viver na escravidão. O povo sírio só aceita viver com dignidade.
Um povo que tem uma história de civilização de mais de 10 mil anos, não se entrega. A Síria escreveu sua história com suas posições baseadas em sólidos princípios, com o seu apoio às causas da nação árabe e aos movimentos de libertação em todo o mundo, que hoje respondem com ingratidão. 
Por que a guerra contra a Síria? Porque a Síria, ao longo de sua história, sempre defendeu os países árabes nas lutas de libertação do colonialismo europeu. A Síria defendeu e defende a Causa Palestina. A Síria apoiou o Líbano na última guerra contra o inimigo sionista (Israel), que desejava invadir o país com o apoio dos EUA.
A Síria apoia os movimentos de libertação no mundo, que lutam pela libertação frente aos países colonialistas e aos governos seguidores do sionismo e do imperialismo. Os governos estrangeiros que promovem guerras para dominar, explorar e roubar as riquezas naturais de muitas nações são imperialistas e sionistas e são nossos inimigos comuns.
A Síria quer que a Causa Palestina siga em frente, viva, até chegar a um acordo duradouro que traga a paz justa para a região.
Em toda a sua história a Síria sempre apoiou a luta dos povos por libertação. Desde a guerra do Vietnã, passando pela luta contra o apartheid na África do Sul, sempre apoiamos os povos que lutam por independência. E neste sentido, uma vez que apoiamos todos os movimentos de libertação no mundo, como deixaríamos de apoiar a luta por libertação do nosso povo frente aos terroristas financiados por governos estrangeiros que hoje atacam a Síria? Essa filosofia de apoiar os povos, de lutar pela justiça, é uma tradição milenar do povo sírio, e não há nenhum país naquela região que tenha praticado essa política progressista com tanta determinação quanto a Síria.
Na Síria a educação é gratuita, a saúde é gratuita e os alimentos recebem subsídios. 
Os terroristas destruíram na Síria 700 hospitais e 2.000 escolas. Havia na Síria escolas itinerantes que atendiam até mesmo as caravanas de nômades pelos desertos.
Afirmo, com certeza, que venceremos esta guerra porque a Síria, em toda a sua história milenar, nunca se rendeu.
Respondendo a pergunta do jornalista, sobre o que o povo brasileiro pode fazer para prestar solidariedade à Síria e ao povo sírio, respondo que cada um pode colaborar da maneira que julgar conveniente. Em primeiro lugar é preciso compreender que a imprensa ocidental é mentirosa, está a serviço do imperialismo e do sionismo. Divulgam mentiras para justificar as guerras e para roubar riquezas naturais dos povos. 
O governo dos EUA e seus aliados dizem que querem promover a democracia na Síria, mas tentaram impedir a eleição no país, e promoveram embargos que impediram o povo sírio de receber alimentos e medicamentos. Que democracia é essa? Eles enviaram terroristas para todas as partes do mundo!
O que acontece hoje na Síria pode acontecer em qualquer parte do mundo. Um dia no Oriente Médio, outro dia na África, outro dia na Ásia, na América Latina. Há mais de 50 anos, o governo dos EUA promove um bloqueio econômico contra Cuba. Por que? É isso que chamam de direitos humanos? Eles não querem que os povos vivam em paz. Não querem que nenhum povo tenha acesso ao progresso e ao desenvolvimento. Eles querem transformar todas as nações em escravas do dólar. Nos EUA, o ser humano vale aquilo que tem, que é a face mais nefasta do materialismo, onde o ser humano não passa de simples mercadoria. 
A solidariedade do povo brasileiro é muito importante para nós e pode ser feita da maneira que considerar adequada.
Eu agradeço esta oportunidade e desejo a todos um Feliz Natal e próspero Ano Novo. E que a paz volte a reinar na Síria.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 4 de 369

jav-separador

         twitter-siga-footerface-footer
Copyright © 2010-2013 Jornal Água Verde. Todos os direitos reservados.
Abrigo Virtual