santa-candida

abrigo-virtual

capa jav agosto

Edição 424 - AGOSTO 2015
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

 capa mercosur00

Edição - SETEMBRO 2015
Clique na capa e aguarde o carregamento da página para começar sua leitura.

Banner

Pesquisa

Do que nosso bairro mais precisa?
 

twitter-sigaface-siga

siga-nos

AGORA ONLINE

Nós temos 6 visitantes online

Visitas

Visualizações de Conteúdo : 1673058
A lista dos 30 senadores com pendências criminais PDF Imprimir E-mail
Escrito por Pragmatismo Político   
Sáb, 29 de Agosto de 2015 19:02

corrupto rato

Quase 40% dos senadores têm pendências criminais. Pelo menos 30 dos 81 integrantes do Senado respondem a inquérito ou ação penal no Supremo Tribunal Federal. Saiba quem são

Quase 40% dos senadores estão sob investigação no Supremo Tribunal Federal (STF). Dos 81 integrantes do Senado, pelo menos 30 respondem a inquéritos ou ações penais na mais alta corte do país.

As suspeitas vão de crimes de corrupção, contra a Lei de Licitações e eleitorais até delitos de menor gravidade, como os chamados crimes de opinião.

Entre os investigados, 12 são alvos da Operação Lava Jato, como o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-presidente da República Fernando Collor (PTB-AL), único senador denunciado até agora pela Procuradoria-Geral da República. As informações são do Congresso em Foco.

O senador com mais pendências na Justiça é Ivo Cassol (PP-RO). Desde agosto de 2013, Cassol vive com um pé no Senado e outro no Supremo.

Primeiro e único senador condenado à prisão pela mais alta corte do país, Cassol se agarra a recursos para não ter o mesmo destino que seu colega de estado, o ex-deputado Natan Donadon (RO), que saiu da Câmara diretamente para o Complexo Penitenciário da Papuda.

O ex-governador foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão, em regime semiaberto, e ao pagamento de multa de R$ 201 mil, acusado de ter direcionado licitações a empresas de conhecidos entre 1998 e 2002, quando era prefeito de Rolim de Moura (RO). Em setembro de 2014, o Supremo rejeitou as contestações de Cassol.

Presidente do Senado

Desde janeiro de 2013, há um parecer da Procuradoria-Geral da República oferecendo denúncia contra o presidente do Senado, Renan Calheiros. Dois anos e meio depois, o pedido não foi analisado.

Renan é acusado de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso no Inquérito 2593, que apura crimes atribuídos a ele em 2007, quando teve de renunciar à presidência do Senado em meio a uma série de acusações.

Atualmente, ele é investigado em outros três inquéritos da Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro.

A PGR sustenta que o senador enriqueceu ilicitamente, forjou documentos para comprovar que tinha recursos para bancar despesas pessoais e teve evolução patrimonial incompatível com o cargo.

Os fatos se referem à denúncia feita por Mônica Veloso, com quem tem uma filha, de usar dinheiro repassado por lobista da empreiteira Mendes Júnior para pagar pensão e aluguel da ex-amante.

Pela mesma denúncia, Renan virou réu por improbidade administrativa na 14ª Vara da Justiça Federal de Brasília, em junho.

Confira abaixo a lista dos 30 senadores sob investigação no Supremo Tribunal Federal:

Acir Gurgacz (PDT-RO)
Ângela Portela (PT-RR)
Antônio Anastasia (PSDB-MG)
Benedito de Lira (PP-AL)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Dário Berger (PMDB-SC)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Eduardo Amorim (PSC-SE)
Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)
Fernando Collor (PTB-AL)
Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
Gladson Cameli (PP-AP)
Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Humberto Costa (PT-PE)
Ivo Cassol (PP-RO)
Jader Barbalho (PMDB-PA)
José Agripino (DEM-RN)
Lindbergh Farias (PT-RJ)
Marta Suplicy (PMDB-SP)
Omar Aziz (PSD-AM)
Paulo Bauer (PSDB-SC)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Roberto Requião (PMDB-PR)
Romero Jucá (PMDB-RR)
Sérgio Petecão (PSD-AC)
Simone Tebet (PMDB-MS)
Telmário Mota (PDT-RR)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
Wellington Fagundes (PR-MT)

Ps.: É salutar lembrar que, embora não conste na lista dos atuais investigado pelo STF, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)  já foi condenado pela Suprema Corte e teve o seu mandato cassado, quando governador, por abuso de dinheiro público.

 
Golpistas usam nome de Aécio PDF Imprimir E-mail
Escrito por Redação   
Sáb, 29 de Agosto de 2015 08:32

aecio neves 1

Golpistas estão usando indevidamente o nome do senador Aécio Neves (PSDB) para extorquir dinheiro de autoridades, jogadores e empresários. 

Eles enviam um email falso, em nome do senador, pedindo altas contribuições financeiras. Ao ser informado, o senador Aécio acionou a Polícia Federal para que investigue o caso.

O diálogo a seguir foi revelado por Lauro Jardim: 

Jorge Gerdau ligou ontem para Aécio Neves e foi logo perguntando:

- Li o seu e-mail. É isso mesmo?

Aécio mostrou-se surpreso:

- É isso o quê?

Gerdau, então, explicou que havia recebido há pouco um e-mail em que Aécio lhe pedia 200 000 reais como colaboração. Gerdau não foi o único a receber a correspondência.

Para André Esteves, dono do BTG Pactual, chegou uma solicitação semelhante. Assim como para Neymar Santos, pai de Neymar. E muitos outros nomes conhecidos.

Como não passou e-mail algum pedindo doações, Aécio ligou para o diretor-geral da PF, Leandro Daiello, pedindo que o caso seja investigado.

 
Com UERJ lotada, Mujica emociona e plateia grita “Fora Cunha” e “Não vai ter golpe” PDF Imprimir E-mail
Escrito por Portal Metropole   
Sex, 28 de Agosto de 2015 18:11

mujica uerj

Um encontro de jovens com o ex-presidente do Uruguai, José “Pepe” Mujica, lotou o anfiteatro (também conhecido como Concha Acústica) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj).

Mujica veio ao Brasil a convite da Federação de Câmaras de Comércio e Indústria da América do Sul (Federasur) para um seminário fechado que aconteceu pela manhã. O evento terminou às 20h30 e Mujica se despediu tirando uma foto à frente dos quase 5 mil participantes que estiveram no local.

A iniciativa de realizar o encontro com os estudantes partiu do próprio político, que foi ovacionado pelo público ao ser anunciado no microfone, por volta das 18h30. Ele demonstrou muita simpatia e discursou logo após sua apresentação. O ex-presidente tornou o Uruguai um dos países de legislação mais avançadas em relação às drogas.

O ex-presidente respondeu perguntas sobre diversos temas, como o que pensa sobre “movimentos golpistas” na América do Sul, os maiores desafios da América Latina atualmente, opinou sobre o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e chegou até a ser questionado sobre quem são seus exemplos históricos e livros que mudaram sua percepção de vida. “Queridos, a vida é um livro aberto”, brincou.

“Necessitamos de confiança. Temos que aprender que a mensagem é uma: nós podemos andar em um fusca. Somos consequência do interesse do nosso povo (…) O problema mais grave da América Latina é a desigualdade. Temos que ter recurso e isso se chama política fiscal. Na América do Sul o rico não paga quase nada (…) O mundo está se agrupando em gigantescas unidades. A União Europeia está criando uma fabulosa unidade de capital. Qual é nosso destino, ser compradores de conhecimento de ponta? Que a batalha para liberdade seja também no campo da investigação”, declarou.

Mujica também foi questionado sobre a redução da maioridade penal. Ele afirmou que “não considera um caminho ideal”. Perguntado se o Brasil teria capacidade para legalizar as drogas, ele se ateve a falar sobre sua experiência com o tema enquanto foi presidente do Uruguai.

Conterrâneos
“Nós temos que pensar como espécie e não como países. E isso engloba o mundo inteiro. Os pobres da África não são da África, são do mundo inteiro. Os homens que atravessam o Mediterrâneo são nossos. Todos são nossos conterrâneos. A liberdade não se vende, se ganha fazendo algo pelos demais”, disse o ex-presidente.

Devido à lotação do espaço, a Uerj colocou um telão em um estacionamento próximo ao anfiteatro, para que outras pessoas pudessem assistir a palestra. O local também ficou lotado.

Feijoada e rabada
Durante a tarde, Mujica almoçou no Bar do José, na esquina das ruas Barão de Ubá e Santa Amélia, na Tijuca, Zona Norte. No restaurante, foi servido feijoada, rabada com agrião, cerveja e caipirinha. A clientela ficou surpresa ao se deparar com o ex-presidente na hora do almoço, como noticiou o Jornal O Dia.

O ex-presidente ainda esteve na Associação Brasileira de Imprensa (ABI) pela manhã. O elevador da ABI deu um susto nos jornalistas que cobriam o evento. Ele teria descido até o poço por conta do excesso de passageiros, segundo a assessoria de imprensa do local.

Confira algumas frases ditas pelo politico:

O que sabemos é que o que vínhamos fazendo contra as drogas não estava dando resultado. – Sobre a descriminalização das drogas

Os únicos derrotados no mundo são os que deixam de lutar.

Não tem de deixar de ser brasileiro, mas tem de ser latino-americano.

O Mercosul tem um montão de defeitos. Mas, ai de nós se não existir.

Se gosta de dinheiro, vá ganhar no comércio ou na indústria. Mas não se meta na política.

Essa democracia não é perfeita porque não somos perfeitos. Mas temos que defendê-la para melhorá-la, não para sepultá-la.

Pepe Mujica na UERJ

 
"Prefeita ostentação" continua foragida da polícia PDF Imprimir E-mail
Escrito por Pragmatismo Político   
Sex, 28 de Agosto de 2015 16:25

lidiane

Festas, carros de luxo e até cirurgia plástica. Com ensino fundamental completo e ocupação declarada ‘estudante bolsista’, Lidiane Leite foi embora e deixou sua cidade sem dinheiro para a educação. O chá de sumiço da "prefeita ostentação" surgiu após investigações da Polícia Federal

A Polícia Federal no Maranhão procura a prefeita Lidiane Rocha (PP-MA), da cidade de Bom Jardim, a 275 quilômetros da capital São Luís. Ela é suspeita de fraudes em licitação e desvio em recursos de merenda escolar e está sendo procurada. A Justiça expediu mandado de prisão preventiva contra Lidiane.

Vaidosa, 25 anos, Lidiane exibe nas redes sociais imagens de uma vida de alto padrão para uma cidade de 40 mil habitantes à beira da miséria, com um dos menores IDHs do Brasil.

Ela foi eleita quase que por acaso, já que substituiu a candidatura inicial do seu partido: o seu namorado à época, Beto Rocha, foi impedido de concorrer por ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

arros de luxo, festas e preocupação com a beleza, o que inclui até cirurgia plástica, marcam o dia a dia da moça que, conforme seu registro na Justiça eleitoral, candidatou-se pela coligação ‘A esperança do povo’, com ensino fundamental completo e ocupação declarada ‘estudante, bolsista, estagiário e assemelhados’.

Seu nome verdadeiro é Lidiane Leite da Silva. Na Justiça Eleitoral, ela é Lidiane Rocha.

Nesta quinta-feira, 20, foram presos dois ex-secretários de Lidiane – Antônio Gomes da Silva (Agricultura) e Humberto Dantas dos Santos (Coordenação Política), ex-namorado da prefeita.

Segundo o delegado da PF Ronildo da Silveira, responsável pelo inquérito que investiga a prefeita, os agentes federais no Aeroporto de São Luís estão de sobreaviso para evitar que a prefeita tente fugir do Estado. “Policiais federais estão atrás dela, empenhados no recebimento das informações (sobre a prefeita). Hoje é considerada foragida”, afirma o delegado federal.

Ronildo da Silveira suspeita que toda a licitação de merenda escolar tenha sido fraudada em torno de R$ 900 mil a R$ 1 milhão. O delegado diz ter certeza de que R$ 300 mil, parceladamente, foram desviados no contrato. O valor corresponderia ao que seria pago da licitação a agricultores locais.

“Na hora de pagar os agricultores, o ex-namorado ia ao banco e sacava o dinheiro em conjunto com agricultores. Em seguida, pegava o dinheiro e deixava migalha com eles, muito pouco, para mantê-los calados”, explica o delegado.

O federal conta que as investigações começaram após agricultores afirmarem que recebiam dinheiro, mas não forneciam nenhum alimento para a escola. Chamou a atenção da PF, ainda, a vida que a prefeita ostentava em uma rede social.

“Muitas viagens, (Lidiane) colocava na internet que estava na hora de comprar um carro melhor, veículo de luxo, vivia em festa, fazendo cirurgia plástica”, relata o delegado.

Ostentação e discussões nas redes sociais

Em uma postagem no Instagram, a prefeita diz a uma seguidora: “Antes de ser prefeita, eu era pobre, tinha uma Land Rover. Agora estou numa SW4 [automóvel cujo modelo mais simples custa a partir de R$ 130 mil]. Devia era comprar um carro mais luxuoso porque graças a Deus o dinheiro está sobrando”.

Para a mesma seguidora, ainda disse: “Eu compro o que eu quiser, gasto sim como eu quero. Não estão nem aí para o que acham. Beijinho no ombro para os recalcados”.

No discurso de posse, em 2013, Lidiane prometeu fazer uma “mudança em Bom Jardim” porque, durante a campanha, havia conhecido a “triste realidade” da população carente. Ela também destacou que iria oferecer melhor educação para as crianças.

“Iremos trabalhar junto a este povo tão carente e tão sofrido. Deus sabe o coração que eu tenho, que nesses quatro anos quanto irá dar certo, que Bom Jardim irá para frente, que Bom Jardim irá para um futuro melhor. Que nós teremos mais educação para as nossas crianças. Faremos valer a vontade do povo, foi o povo que me elegeu e é para o povo que eu vou trabalhar”, disse na ocasião, emocionada.

Desigualdade

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Bom Jardim é um dos mais baixos do Brasil. O cálculo do IBGE, que avalia a qualidade de vida de uma comunidade variando de 0 a 1, contemplou Bom Jardim com 0,538, sendo que a média nacional atualmente é 0,730.

Segundo o IBGE, o valor do rendimento nominal médio em Bom Jardim — algo como a renda familiar mensal — é, em média, de R$ 1.096,09.

A cidade de 40 mil habitantes possui uma frota de 625 carros, mas, para dirigir no nível da prefeita, os moradores teriam que economizar sua receita integral por mais de oito anos.

Última atualização em Sex, 28 de Agosto de 2015 16:25
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 2 de 297

   

jav-separador

         twitter-siga-footerface-footer
Copyright © 2010-2013 Jornal Água Verde. Todos os direitos reservados.
Abrigo Virtual